Conceitos e Técnicas / Método MCI Business

Método MCI Business

Método MCI Business

O MCI pensa a empresa como um ser vivo. Ela possui uma biografia, uma história que começou com os seus fundadores, que podem ainda estar vivos, mas também pode ser uma empresa que esteja na segunda, terceira ou mais gerações. Pode ser também uma startup ou um pequeno negócio. Seja porque tempo for, menor ou maior, ela tem uma história, que precisa ser considerada e respeitada. Representa a sua biografia até aqui. Esta empresa vive um momento presente e ela deve olhar para o futuro, desenvolver uma visão, que será sempre incerto, mas que começa a ser criado no invisível, fortemente influenciado pela sua história, pelo momento atual e também por esta visão.

 

Como um ser vivo, esta empresa não possui apenas a sua parte visível concreta, formada pelos seus espaços, máquinas, móveis, computadores e colaboradores. Como um ser vivo, a empresa possui uma Identidade (invisível), uma personalidade (perceptível), e um corpo (visível). Reconhecendo a existência destas três dimensões, o Método MCI Business, concentra-se especialmente nas duas primeiras, Identidade e Personalidade.

 

A esfera da Identidade:

A identidade representa a essência da empresa, a sua parte mais elevada, íntima e, em grande parte, invisível. Como o próprio nome sugere, ela é única. Outras empresas podem atuar no mesmo segmento, vender os mesmos produtos ou serviços, adotarem estratégias semelhantes, praticarem os mesmos preços, discursos semelhantes, mas ainda assim, cada uma terá a sua própria identidade.

Ela é formada inicialmente pela sua Missão e pelos seus valores. A missão tem um caráter duradouro e talvez não mude em sua existência, uma vez que se relaciona com a sua finalidade. É atribuída pelo seu fundador ou, se estabelecida formalmente na sua ausência, pela instância maior da empresa. 

Os valores devem funcionar como uma constituição e ser o guia para a gestão e para a tomada de decisões do dia a dia. Em hipótese alguma pode  transformar-se numa simples declaração de intenções. Quais são efetivamente os valores exercidos pela organização?

O Propósito é a causa que a empresa abraça e o que originará os objetivos e metas de um determinado período. Ele terá força se for capaz de inspirar líderes e colaboradores, sendo que alguns podem tocar até fornecedores e principalmente clientes. Algumas  fazem de seu propósito algo que transcende as suas fronteiras. 

Complementa o campo da identidade o tipo de governança, que traduz a maneira como ela é dirigida. Uma boa governança cuida para que boas práticas de gestão sejam aplicadas, reforça valor a empresa e impede que os interesses de curso prazo sejam priorizados à perpetuidade da organização. Serve também, de guardião à Missão e aos Valores da empresa, além de ser um direcionador para o atingimento do seu Propósito. Além disso, a governança deve garantir que haja um pleno alinhamento entre a Missão, Valores, Propósito e a operação prática da empresa, que produz resultados. É na governança que são estabelecidas as bases para a responsabilidade corporativa, variando do cumprimento das obrigações legais às ações espontâneas de caráter social e ambiental. 

As empresas que praticam a responsabilidade ASG (Ambiente, Social e Governança) são empresas que demonstram maior resiliência, sobretudo em momentos de crise, sendo crescentemente valorizadas pelos mercados financeiros e atraindo investidores. Isto ocorre por diversas razões, dentre elas a existência de consumidores mais conscientes, a sua maior capacidade de  atrair e reter talentos, e por sinalizarem maior longevidade. Ao final, são empresas que são mais lucrativas, fazendo o bem. O MCI se identifica com as causas ASG.

 

A esfera da Personalidade

A esfera da personalidade é predominantemente perceptível e ainda é imaterial. A personalidade pode ser definida, em parte pelo que ela é e em parte como ela é percebida por todos os que se relacionam com ela, os chamados stakeholders, ou partes interessadas. São eles: acionistas, empregados, fornecedores, concorrentes, clientes e o poder público. É também na esfera da personalidade que se desenvolve a operação da estratégia que inclui dentre outros, a definição de sua faixa de atuação e a sua proposta de valor único, que a diferenciará da concorrência.

A estratégia em outros tempos tinha um caráter de longo prazo e descia a hierarquia da empresa, em seus vários níveis, desdobrando-se em planos táticos e operacionais. Nos tempos atuais, ela precisa ser ágil e permitir poder a quem está na ponta a fazer os ajustes necessários. Poderíamos fazer um paralelo com o uso do aplicativo Wase. Você sai de um ponto A e adota um trajeto para o ponto B. No meio do caminho, o trânsito faz com que você precise mudar a rota, talvez mais de uma vez, ora por caminhos mais longos, ora por caminhos mais rápidos. É como opera um modelo típico de uma startup e como empresas maiores e mais tradicionais tentam fazer, com grandes desafios. De qualquer forma, adotar uma estratégia continua a significar fazer escolhas e, principalmente, decidir o que não fazer.

Ainda na esfera da personalidade, entramos na maneira como a empresa quer se relacionar com o seu público interno e externo. Qual o modelo de liderança que ela deseja adotar? Há diferentes estilos e técnicas de liderança, desde as tradicionais as mais atuais, as mais autocráticas ou liberais, centrada na personalidade do líder ou na maturidade do liderado, as que acreditam mais no tipo comando-controle ou no desenvolvimento de consciência e responsabilidade. Qual o estilo que a empresa adotará e desejará que os seus líderes a sigam? E que tipo de relação ela terá com fornecedores, clientes e outros agentes do mercado. Sua performance será pelo exercício da força ou da contribuição ganha-ganha? Quais são os seus relacionamentos estratégicos, como serão geridos e por quem? 

Por fim, ainda na esfera da Personalidade, está a maneira que a empresa lida com um recurso chamado Tempo. Para um ser vivo, tempo é vida, e isso também se aplica ao ser vivo empresa. Trata-se de um recurso que, se bem empregado representa produtividade, qualidade, agilidade e desenvolvimento profissional para os envolvidos. Se desperdiçado, pode representar queda de competitividade, custos elevados, processos ineficientes, perdas de oportunidades e fonte de frustração às pessoas envolvidas. Os efeitos de uma boa ou má gestão de tempo, são de certa forma, imensuráveis e indiscutivelmente de grande importância. Podemos afirmar que cada empresa possui uma cultura própria de lidar com o fator tempo e isto faz muita diferença em seu destino. A questão é: esta cultura foi fruto de uma escolha consciente ou ela simplesmente aconteceu?

 

A esfera do Corpo

Compreendendo a parte visível, ela compreende as suas instalações, os recursos financeiros e a maneira como os utiliza, os processos estabelecidos e praticados e finalmente os indicadores de desempenho, os chamados KPI (Key Performance Indicator). Existem muitas consultorias e profissionais especializados nestes fatores, havendo também uma vasta literatura a respeito. Reconhecendo a sua importância e a especialização destas empresas, o MCI, concentra-se nas duas primeiras esferas do Ser da empresa, a sua Identidade e Personalidade

Business

Entre em contato:

Whatsapp: (41) 99985-3434

E-mail: contato@mcinstitute.com.br

Ficaremos felizes com sua mensagem

Nome
Email
(  ) ---- ----
Mensagem